Navigation Menu

É a primeira vez que
você acessa este blog
neste computador!


Deseja ver antes
nossa apresentação?


SIM NÃO

O Socialismo de Hitler e de Mussolini

Fascismo e nazismo frequentemente estão sendo colocados ao lado do conservadorismo político, como sendo os extremos do mesmo, e, portanto, o oposto do socialismo. Será que isso é verdade? Será que o comportamento fascista do líder do partido "nacional-socialista" da Alemanha orientava-se para o conservadorismo político e o capitalismo?

"Somos socialistas, inimigos do atual sistema econômico capitalista de exploração dos economicamente frágeis, com seus salários injustos, com sua avaliação indecorosa do ser humano segundo a riqueza e a propriedade, em vez da responsabilidade e desempenho, e estamos determinados a destruir esse sistema, sob qualquer condição." Adolf Hitler, 1927.

"Somos inimigos mortais do sistema econômico capitalista de hoje em dia, com sua exploração dos economicamente fracos, seu sistema injusto de salários, sua maneira imoral de julgar o valor dos seres humanos em termos de suas riquezas e de seu dinheiro." Gregor Strasser, ideólogo nazista.

"O Estado deve ter como meta prioritária oferecer os meios de sustento para seus cidadãos, a abolição de todas as receitas não adquiridas com trabalho, o confisco implacável de todos os lucros de guerra, a nacionalização de todos os negócios que se transformaram em corporações, o compartilhamento de lucros e grandes empresas, o desenvolvimento maciço de uma pensão para a velhice e uma reforma agrária apropriada às necessidades nacionais." Plataforma do Partido Nazista, 1920.

"A única doutrina com a qual tive experiência prática foi o socialismo, a partir do inverno de 1914 - quase uma década. Minha experiência foi tanto como seguidor como líder, mas não foi algo doutrinador. Minha doutrina durante esse período foi a da ação. Uma doutrina do socialismo uniforme e aceita universalmente não existira desde 1905, quando o movimento revisionista, liderado por Bernstein, surgiu na Alemanha, contraposto pela formação, no vaivém das tendências, de um movimento revolucionário de esquerda, que na Itália jamais saiu do campo das palavras, ao passo que, no caso da Rússia, se transformou no prelúdio do bolchevismo.

Reformismo, revolucionarismo, centrismo, o próprio eco desse tipo de terminologia está morto, enquanto no grande rio do fascismo é possível traçar correntes que tiveram suas nascentes em Sorel, Peguy, Lagardelle, dos Movimentos Socialistas, e no grupo de sindicalistas italianos que entre 1904 e 1914 acrescentaram um novo tom ao ambiente socialista italiano." Benito Mussolini, A doutrina do fascismo, 1923.
Fonte: O Livro Politicamente Incorreto da Esquerda e do Socialismo, Kevin D. Williamson, Agir, 2013, pgs 155-156 e 160-161.

Natanael Pedro Castoldi

Leia também:

0 comentários: